AGITAÇÃO / AGRESSIVIDADE

Confusão / Delírios / Agitação / Agressividade

Idosos confusos, delirantes, agitados ou agressivos é situação comum tanto nos processos demenciais, quanto nos casos de delirium (Síndrome confusional aguda), sendo um dos principais motivos de busca ao atendimento médico. Existem vários motivos para um idoso estar confuso e/ou delirante, dentre as causas mais comuns temos a desidratação e a infecção urinária, por exemplo.

Confusão / delírios podem ser agudos (de instalação súbita) como ocorre no Delirium (1); ou insidioso quando proveniente de um processo demencial preexistente (2).


1. Delirium (Síndrome Confusional Aguda)


1.1. Causas (Precipitantes)

  • Infecção:
    Infecção urinária, pneumonia, sepse;
  • Cardiovasculares:
    IAM, Embolia Pulmonar, ICC, Endocardite, Arritmias, Hipertensão Maligna;
  • SNC:
    AVC, Epilepsia, Neoplasias, Hematoma Subdural, Traumatismos, Vasculites, Meningite/Encefalite;
  • Distúrbios Metabólicos:
    Hidroeletrolíticos, Insuficiência Renal, Febre, Hiper/Hipoglicemia, Insuficiência Hepática, Hipóxia, Doenças da Tireoide;
  • Cirurgias, traumas, fraturas, etc;
  • Medicações:
    Anticolinérgicos - Furosemida, Digoxina, anti-histamínicos, corticoides, cimetidina, ranitidina, hioscina, oxibutinina, teofilina, biperideno, ciprofloxacino, tricíclicos, tetracíclicos, opióides, etc...
    Outros possíveis - anti-inflamatórios em geral, Hipoglicemiantes, BZP, Hipnóticos, Anti-Hipertensivos, Lítio, Opióides, Diuréticos, Antiarrítmicos, L-Dopa, Quimioterapia.

1.2. Fatores de Risco Predisponentes

Idade avançada; sexo masculino; doenças clínicas com comprometimento sistêmico; demência; doença cerebrovascular; depressão; polifarmácia (anticolinérgicos, anti-histamínicos, sedativos); fatores clínicos, hemodinâmicos e farmacológicos relacionados à cirurgia: desidratação; desnutrição; hipotensão perioperatória; baixo débito cardíaco; hipóxia no pós-operatório; doenças psiquiátricas; residentes de clínicas geriátricas;

Outros (relativos): privação de sono; prejuízo sensorial (déficit auditivo, visual); incontinência urinária e fecal; mudanças ambientais.


2. Demências


2.1. Degenerativas Primárias

  • Alzheimer;
  • Degeneração Lobar Frontotemporal:
    Doença de Pick; D. Frontotemporal; Afasia não Fluente; Demência Semântica;
  • Demências Subcorticais:
    Doença de Wilson; Huntington;
  • Parkinson Plus:
    Corpos de Lewy; Parkinson; Paralisia Supranuclear Progressiva; Degeneração Corticobasal; Atrofia de Múltiplos Sistemas.

2.2. Vasculares

  • Multi Infartos;
  • Infartos estratégicos;
  • Doença de Pequenos Vasos;
  • Hipoxia-Isquemia;
  • Hemorragia cerebral;
  • Outros mecanismos ou combinações dos anteriores.

2.3. Lesionais

  • Lesões Focais:
    Tumores; Hematoma Subdural; Esclerose múltipla; Hidrocefalia de Pressão Normal;
  • Traumáticas:
    Demência Pugilística; Traumatismo Cranioencefálico;
  • Infecciosas:
    Demência associada a AIDS; Neurosífilis; Neurocisticercose; Meningoencefalites (Criptocócica, tuberculosa, fúngica); Encefalites virais (Herpes simples); Creutzfeldt-Jakob; Insônia Familiar Fatal; Doença de Gertsmann-Straussler-Scheinker;
  • Inflamatórias:
    Vasculites do Sistema Nervoso Central; Lúpus; outras doenças reumatológicas

2.4. Tóxico Metabólicas

  • Intoxicações Crônicas:
    Intoxicação por metais (chumbo, mercúrio, arsênico);
  • Anóxias/Hipoxias:
    Intoxicação Monóxido de Carbono; PCR; Arritmias; Anóxia Pós Anestésica; Anemias; DPOC;
  • Metabólicas:
    Tireoidopatias; Hiperparatireoidismo; Distúrbios Hipofisários-Adrenais; Encefalopatia Hepática Progressiva Crônica; Uremia Crônica (Demência Dialítica);
  • Nutricionais:
    Deficiências Vitamínicas: Tiamina B1; Niacina B3; Cobalamina B12; Ácido Fólico


Quais são os sinais de confusão no idoso?

  • Agressividade;
  • Dificuldade em manter um diálogo coerente ou lentificação na fala;
  • Não conseguir obedecer a comandos simples. Ex: Guardar um objeto;
  • Ter comportamentos socialmente inadequados, como por exemplo falar palavrões, tirar a roupa, assediar pessoas;
  • Vestir-se de forma inadequada. Roupas de inverno no verão, por exemplo;
  • Estar muito agitado ou muito parado, apático;
  • Esquecer situações, conversas, datas, querendo repetir refeições pois esquece que já se alimentou;
  • Não reconhece pessoas, nomes, parentesco;
  • Ter dificuldade em executar tarefas como preparar alimentos sair de casa sozinho sem se perder.

Quando o idoso apresentar alguns destes sinais, buscar atendimento o mais breve possível.


Como devemos agir diante um idoso estiver confuso/agressivo?

  • Manter uma postura calma;
  • Evitar dar ordens ou aumentar o tom de voz;
  • Não demonstrar medo ou ansiedade;
  • Evitar quando possível tocar ou se aproximar por trás;
  • Não discordar, criticar ou discutir. Deve procurar mudar de assunto;
  • Remover objetos do ambiente que possam ferir o idoso.

DR. MARCOS PAULO BETINARDI
PSIQUIATRA ESPECIALIZADO NO ATENDIMENTO A IDOSOS

  • Médico Psiquiatra Especializado em Psicogeriatria
    (Psiquiatra Especialista em Idosos)
  • Pós-Graduado em Geriatria e Gerontologia pela PUCRS
  • Pós-Graduado em Neurologia Vascular pelo Hospital Moinhos de Vento
  • Professor e Supervisor do Instituto Abuchaim de Psiquiatria
  • Professor Centro de Estudos Cyro Martins de Psiquiatria
  • Corpo Clínico do Hospital Psiquiátrico Espírita